Plano de saúde para empresa: reduzir e manter os custos baixos

Um bom plano de saúde para empresa, embora não seja obrigatório, tem importância na busca por competitividade. É um benefício que traz tranquilidade para os colaboradores focarem no trabalho além de ser fator de motivação para atrair e reter talentos.

No entanto, os planos de saúde para empresas há quase vinte anos vêm sendo reajustados acima da inflação, o que está colocando em cheque o oferecimento desse benefício por elas aos seus colaboradores.

O problema é a elevação do custo – a chamada “inflação médica”. O custo da assistência médica corporativa brasileira cresceu num ritmo três vezes maior do que o índice de inflação no período de 2005 a 2017 – acumulando aumento de 270% ante a variação de 83% no índice geral de preços ao longo desses anos.

Mudar de operadora do plano de saúde é até uma solução temporária e, às vezes, necessária. No entanto, sem outras ações, a mudança não acaba sendo uma boa escolha em médio e longo prazo: reduzir o padrão do plano de saúde pode levar à insatisfação dos colaboradores, afetar a produtividade e aumentar a taxa de turnover.

foto mostrando colaboradors de uma empresa reunidos discutindo o plano de saude para empresa
Apesar de ser uma importante fator para atrair e reter talentos, o plano de saúde para empresa tem má gestão na maior parte delas, encarecendo o custo

Por isso, damos algumas sugestões de ações que tem como fundamento a ideia de reduzir o custo do plano de saúde para a empresa sem perder a qualidade.

Melhorar a gestão

Apesar do custo com o plano de saúde para a empresa já ter superado o investimento em treinamento com pessoal e só ficar atrás do gasto com a folha de pagamento, Luiz Edmundo Rosa, presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), lembra que “Apesar disso, há uma tendência nas corporações de entregar esse assunto a profissionais de escalões inferiores”.

Há uma nítida contradição: o plano de saúde para empresa encarece e ao mesmo tempo as decisões sobre eles continuam sendo tomadas por profissionais de nível não estratégico…

Até por isso, a empresa acaba conhecendo pouco sobre o histórico de atendimento de seus colaboradores e fica sem importantes informações para readequar seu plano de saúde, em caso de necessidade ou oportunidade.

Investir na prevenção

A prevenção interfere diretamente nas condições de saúde dos colaboradores, e consequentemente no uso do plano de saúde. Em termos de saúde (custos) nada mais correto do que o ditado popular: é melhor prevenir do que remediar…

Dentre as ações preventivas para evitar problemas de saúde dos colaboradores e o consequente uso do plano estão:

  • estimulo a prática de atividades físicas;
  • campanhas antitabagismo;
  • práticas preventivas do desenvolvimento de diabetes e hipertensão;
  • programa de nutrição saudável com consulta a nutricionistas;
  • incentivar a realização de ginástica laboral para prevenção de lesões por esforço repetitivo

Para que as ações preventivas tenham eficácia, é é preciso conhecer os colaboradores da empresa: fumantes, sedentários, peso acima do recomendado, diabéticos, hipertensos, entre outros, para ajudar a selecionar o tipo de ação mais necessária. Esse também é um aspecto que uma melhor gestão pode ajudar.

Campanhas de conscientização de uso do plano para colaboradores

Um dos principais motivos para o aumento de custos do plano de saúde para empresa é o mau uso do mesmo por parte dos colaboradores.

Infelizmente são comuns algumas das seguintes situações:

  • realizar diversas consultas com médicos da mesma área;
  • procurar atendimento de emergência quando ele não é necessário;
  • emprestar a carteira do plano para outras pessoas;
  • pouca utilização da reconsulta -, retorno ao médico para acompanhar a evolução do tratamento sem pagar nova consulta.

Para se ter uma ideia do mau uso dos planos de saúde no Brasil, independentemente de serem planos empresariais ou não, seguem alguns dados:

  • relatório da ANS de 2016, indica que os beneficiários de planos de saúde particulares realizaram nesse ano 7 milhões de ressonâncias e outro 7 milhões de tomografias, dando uma média de 149 exames por mil pacientes nos dois casos. Em relação a 2014, houve aumento de 25% em ressonâncias e 21% em tomografias. Em média, o Brasil realiza quase três vezes mais esses exames de alto custo do que os países da OCDE – que tem entre seus membros os 35 países mais desenvolvidos (e ricos);
  • a cesariana foi adotada em 84% dos partos feitos na rede privada em 2016 – índice acima dos 18,6% da média mundial. Se considerarmos a realização dela na rede pública, a taxa brasileira de cesarianas é de 55,6%, só superada pela da República Domenicana com 56%.

Isso mostra que há um enorme espaço para redução do custo com o plano de saúde para empresa investindo em campanhas de conscientização de uso para os colaboradores

A melhor maneira é realizar campanhas internas com o objetivo de fazer com que os colaboradores percebam a necessidade do uso consciente do plano de saúde como uma forma de manter o benefício, pois, caso contrário, a empresa poderá diminui-lo ou até mesmo cancelá-lo, por não conseguir arcar com o custo.

Coparticipação dos funcionários no plano de saúde para empresa

Há coparticipação quando o usuário pagar uma pequena parte do custo do plano e a empresa a outra. Ela ajuda a conscientizar os colaboradores sobre o uso adequado.

Ela também é uma solução para as empresas que precisam reduzir rapidamente os gastos com plano de saúde mas não deixando os colaboradores sem cobertura e sem alterar a rede de atendimento.

A coparticipação faz inteiro sentido no caso de plano de saúde para empresa mas ela deve ser cuidadosamente pensada em caso de planos de saúde individuais/ familiares.

Diminuir a abrangência do plano de saúde

Grande parte das empresas não exerce atividades que requeiram de seus colaboradores deslocamentos ao longo do país. Na verdade, a maior parte deles exerce suas atividades no mesmo escritório ou fábrica. 

Para empresas com esse padrão local de atividades, faz pouco sentido pagar planos de saúde com abrangência nacional. Optando por ter um plano de abrangência regional elas conseguem uma redução de custo mantendo a mesma qualidade de atendimento.

Verificar oportunidades com seu corretor

É fato que grande parte das empresas precisa melhorar a gestão do seu plano de saúde. Mas isso não significa tornar um ou alguns de seus colaboradores especialistas nesse mercado.

Sempre é vantajoso contar com os serviços de um corretor de plano de saúde de confiança pois ele está sempre acompanhando o mercado e pode apontar oportunidades que apareçam.

Para obter todas as vantagens de um relacionamento com um corretor é preciso ter uma comunicação clara de ambas as partes, baseada na confiança.

 

Cotar plano de saúde agora!

Voltar ao Guia de Plano de Saúde

Coloque sua opinião e ajude a enriquecer esse debate!